sábado, 25 de janeiro de 2014

Proteção solar - sabemos mesmo nos proteger? Veja algumas dicas!


O verão está aí com tudo! É uma época do ano gostosa... praia, piscina, água de coco gelada...
Mas esse Solzão bonito traz com ele a radiação ultravioleta, cujo índice fica bem elevado nessa estação e por isso aumenta-se o risco de queimadura solar.

Recentemente um esportista publicou a foto de queimadura solar mesmo usando uma roupa de ciclismo (parece não ter usado o protetor solar de forma correta e a roupa não era a mais indicada para sua proteção).

Outro dia, uma paciente veio ao consultório com queimadura nas pernas, com bolhas enormes - difícil até de acreditar - após 50 minutos de passeio de caiaque no Rio de Janeiro (que chegou a ter sensação térmica de 50 graus! Ó céus!).

Uma outra paciente observou que a pele da sua filha, bebêzinha, estava mais bronzeada e áspera devido aos banhos de sol nas pernas dela diários (e é indicado expor o bebê ao Sol? Traz benefício?).

Com tudo isso, refleti: será que sabemos mesmo nos proteger do Sol?

A Sociedade Brasileira de Dermatologia publicou há pouco tempo o Consenso Brasileiro de Fotoproteção. Está disponível A TODOS no site www.sbd.org.br. E traz dicas importantes!

Vou dar abaixo algumas:

1. O ideal é combinar várias medidas protetoras - protetor solar tópico (de passar na pele), protetor solar oral (suplementos especiais disponíveis na farmácia e indicados pelo dermatologista), roupas e acessórios, coberturas e vidros com películas de proteção.

2. O termo bloqueador solar não é mais usado porque dá a falsa ideia de 100% de proteção. O correto é filtro solar. Existem o físico, que reflete a radiação, e o químico, que absorve a radiação. A maioria dos protetores solares mistura os dois. É recomendado FPS de no mínimo 30. Valores mais altos (50 a 100) devem ser optados em situações específicas - maior sensibilidade ao sol, antecedente pessoal ou familiar de câncer de pele, portadores de doenças de pele agravadas pelo sol, profissionais expostos ao sol. Aplique o protetor solar pelo menos 15 a 30 minutos antes da exposição solar, sem roupa ou com menos roupa possível. Reaplique a cada 2 horas ou após ter suado muito ou ficado um tempo dentro d'água. E como aplicar? Passe pelo menos duas vezes no mesmo local ou use a regra da colher de chá.


3. As roupas também servem como proteção. Escolha as com tecido mais escuro (sim, mais escuro protege mais!), trama do tecido mais apertada (aquela que o ciclista usou tinha trama fina, dava para ver a pele, por isso não o protegeu), e fios sintéticos (puxa, sintético é melhor do que de algodão!). Se a roupa estiver molhada, cai sua capacidade de proteção. Há também roupas que tem substâncias químicas adicionadas ao tecido para maior proteção solar.

4. Use chapéus de aba larga e circular (daí a parte de trás do seu pescoço e suas orelhas estarão protegidas!). Mais uma vez, lembre-se de escolher tecidos mais escuros e malha espessa!

5. Os óculos com filtro UV são proteção para a pele ao redor dos olhos e para os próprios olhos (sim, o sol pode causar catarata e degeneração da retina!).

6. O guarda-sol, ou "sombrinha" deve ser de tecido escuro e espesso. Os de maior diâmetro são melhores. O vidro bloqueia apenas a faixa de radiação UVB. Adicione películas para garantir proteção contra UVA, nas janelas do carro, casa ou trabalho.

7. Evite se expor ao sol entre as 10 e as 15 horas. No Nordeste, esse intervalo é entre 9-15h. No Centro-Oeste, entre 10-16h. Nas cidades com hórario de verão, entre 9-16h. Uma medida simples e que serve para as crianças memorizarem é: fuja do sol no período em que sua sombra for menor que você!

8. Grávidas podem e devem usar protetor solar (evitem apenas os com nanopartículas porque seu efeito na gravidez está pouco estabelecido).

9. O uso de protetor solar em bebês de até 6 meses de idade não é recomendado! Nessa faixa etária não se deve expor a criança ao sol. Usar como proteção as roupas e a sombra. O banho de sol que a paciente que comentei acima fazia na filha não é indicado até os 6 meses! Crianças dessa idade não conseguem produzir o suficiente de vitamina D a partir do sol. Devem receber suplemento oral. Após 6 meses, use protetor solar infantil, roupas e sombra nos horários de pico.
10 Escolha fazer exercícios ao ar livre ou lazer fora dos horários de pico! Aquela paciente que se queimou gravemente ao passear de caiaque o fez durante o período de maior índice de radiação UV.

Vamos aproveitar melhor o verão! Nada de sofrer com queimadura solar!

Vamos prevenir o câncer de pele!

Fonte: Consenso Brasileiro de Fotoproteção da Sociedade Brasileira de Dermatologia




Nenhum comentário:

Postar um comentário